Sítio

Espetáculo de máscara

De e por André Louro e Catarina Santana

Disponível para digressão

Um casal de idosos que vive numa aldeia no interior de Portugal recebe um postal anunciando o nascimento do seu neto. Os dois decidem juntar numa encomenda algumas prendas para enviar para o neto que está no estrangeiro e partem numa longa caminhada. Com o embrulho debaixo do braço e uma doce fúria de viver, eles vão experimentar uma série de pequenas e ternas aventuras, partilhar memórias e até apagar um incêndio. No final da epopeia, conseguem chegar… à estação de correios da vila mais próxima!

MENÇÃO HONROSA - 1ª Feira de Teatro Ibérica do Fundão, 2019

Espetáculo de teatro físico, sem texto, com recurso à manipulação de objetos e à expressividade do corpo através do uso da máscara larvar.

A máscara larvar é uma adaptação da máscara do carnaval da Basileia feita pelo pedagogo Jacques Lecoq nos anos sessenta. São máscaras grandes e simples que ainda não conseguiram definir-se com um verdadeiro rosto humano. São seres que ainda não estão totalmente formados ou que já estão a perder os seus traços, a retornar a um estado larvar.  As máscaras vestem-se com roupa do cotidiano e fazem face a situações realistas, que por sua vez são transpostas ao nível da máscara. 

“A história do espetáculo Sítio confunde-se com a história e o contexto escolhido para o nascimento de uma nova companhia de teatro.”
Jornal Expresso, Cláudia Galhós, 1 de agosto 2015

"50 minutos de muitas vidas representadas por duas vidas. Do nascimento à velhice ou da velhice ao nascimento, do viver ao isolamento, um poema de formas, de sentidos e no fim, de amor."
Des, Amaro Figueiredo, 15 de março 2018

IMPRENSA

Radio Televisão de Cabo Verde

Mindelact 2019

  
Diário de Notícias

Companhia da Chanca, de Penela, apresenta em Coimbra o espetáculo “Sítio"

  
TVM, Televisão de Macau

Montra do Lilau

  
TV Globo

Bom dia Piauí

  
RTP 1

Portugal em Direto